Superliga de vôlei! E o Flamengo?

Superliga de vôlei. E o Flamengo??
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

A Superliga de vôlei feminino chegou ao fim na ultima sexta feira (26/04/2019), com o Minas Tênis Clube se consagrando campeão.

O time Minas tenista, conquistou seu terceiro titulo nacional sendo o segundo pela superliga. O primeiro nacional conquistado pela equipe Mineira foi na temporada 1992/1993 ainda como “Liga Nacional”. O adversário daquele ano foi a equipe do ABC paulista São Caetano.

A segunda estrela das mineiras já viria com a nomenclatura Superliga de Vôlei,  e essa estrela foi conquistada na temporada 2001/2002 contra a equipe de Osasco.

Curiosamente o titulo dessa  temporada, fez história não só por coroar um dos clubes que mais investem em esportes olímpicos nesse país, mas também por uma final inédita. Uma final Mineira. Uma final contra o Praia Clube time de Uberlândia que até então era o atual campeão.

Superliga de Vôlei. E o Flamengo? Elenco campeão do Minas 2018/2019
Minas Tênis Clube Campeão da superliga 2018/2019 (Foto: Orlando Bento/MTC)

Essa final também, veio quebrar uma hegemonia que já duravam  17 temporadas.

Hegemonia quebrada!

Pois é meus amigos, por 17 temporadas sempre figuravam  nas finais Rio ou Osasco, ou os 2 juntos. Antes dessa saga, a ultima final sem os dois times, foi justamente a final histórica entre Flamengo x Vasco. Por isso a final apelidada por “pão de queijo” foi bem falada entre os fãns da modalidade.

O Minas que jogou um vôlei de altíssimo nível, e sem duvidas um dos mais bonitos dos últimos tempos fechou a temporada com chave de ouro. Foram quatro títulos e ainda um Espetacular e surpreendente vice campeonato mundial.

Antes mesmo de acabar a temporada, com os times da superliga caindo aos poucos nas fases de cada etapa do campeonato, as especulações já seguiam a todo vapor. E a cada nome que surgia os torcedores ficavam cada vez mais apreensivos, pois a pergunta que ecoa no mundo do vôlei é: “E o Flamengo?”

Especulações, incertezas e Ranking

Normalmente o contrato das jogadoras se encerram entre os meses de maio e junho. É difícil ter contrato por temporadas diferentes de uma. Mesmo que venha ser renovado, os times e também as atletas e seus agentes acham mais seguro e cômodo, fazerem contratos por temporadas. Mesmo porque pode se acontecer algo meio absurdo como aconteceu com o próprio Minas.

O Ranking das atletas que valem 7 pontos mudou, e nessa mudança o time que já contava com duas de pontuação 7, as ponteiras Natália Zilio e Gabriela Guimarães,  passou a contar com 3, pois a talentosa levantadora Macris Carneiro, passou a integrar esse seleto grupo, que cá para nós, não beneficia em nada quem esta dentro dele.

Só para lembrar.  Pela regra da superliga feminina, votada pelos próprios clubes da série A, cada time pode ter apenas 2 jogadoras ranqueadas com 7 pontos. As estrangeiras também são limitadas a 2 por cada time.

Com essa genial ideia, os times se defendem argumentando que com esses “limites”, a superliga se torna mais atrativa e equilibrada, evitando que se formem os tais super times.

Bom, essa teoria meio que cai por terra quando pegamos os últimos campeões.

Enfim. Visto isso, as atletas se revoltam, pois algumas delas precisam deixar o país, pois acabam não encontrando times de ponta que consigam pagar seus justíssimos salários, afinal se são pontuação máxima, merecem ganhar equivalente a isso.

O Minas por exemplo foi um dos times que votou a favor da permanência da pontuação, mas talvez não imaginasse que sua levantadora subiria de patamar, impossibilitando que o time permanecesse com o grande time que formou para essa temporada.

Mesmo que as jogadoras queiram permanecer. Pelo menos uma das três terá que deixar o clube.

Nomes brotam em todos os outros times! Mas e o Flamengo?

O Mercado de especulações vem pegando fogo, e com o final da superliga, algumas jogadoras já serão anunciadas em seus futuros clubes. O mais angustiante dessa história, é que não se ouve falar de forma alguma, de jeito algum, de absolutamente nada, do Flamengo.

Tentando passar um pano, é sabido que o basquete do clube esta envolvido nas semi finais do NBB, deixando dessa forma as atenções viradas para essa modalidade. Pode acontecer também, desse silêncio assustador, ser uma válvula de manobra da diretoria do clube, e quando menos imaginar, vem um pacote dos sonhos com jogadoras de altíssimo nível que possam disputar e honrar a tradição que o Flamengo sempre teve em nacionais!

Não da para descartar também, que o projeto do clube é de médio a longo prazo. Querendo aos poucos chegar ao patamar que o próprio basquete tem hoje, e com isso se tornar auto sustentável.

E potência para isso o vôlei tem.

É preciso se manter na Superliga de Vôlei principal

O que precisamos entender, é que para isso acontecer, o nosso vôlei necessita ao menos permanecer na superliga principal, para enfim se tornar atrativo para investidores, e daí sim começar chegar parceiros que possam somar ao projeto.

O nosso time que conseguiu o acesso, são de jogadoras muito guerreiras, algumas ainda promissoras, porem para enfrentar a carga de uma superliga principal, ainda é um time que necessita muito de reforços!

Superliga de Vôlei. E o Flamengo? Elenco temporada 2018/2019
Elenco temporada 2018/2019  (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Não precisa ser fanático pelo esporte, para entender o quanto a torcida de vôlei do Flamengo é gigantesca.  Quanto tempo, muitos torcedores esperaram pelo anuncio da volta desse departamento. Como receberam com carinho as jogadoras que representaram o time na superliga b, e como esse silêncio da diretoria é assustador para cada um, que enfim veria o manto sagrado também pelas quadras de vôlei.

A torcida sabe o quanto é importante, não cometer os mesmos erros que alguns times cometem, ao chegar, esbanjar e com isso não se manter.

Mas não podemos também expor o nome Flamengo. A marca que o Flamengo é. Chegar em uma competição simplesmente por chegar.  Seria tremenda covardia até com as atletas que ali representam o clube, as expondo por não conseguirem colocar o Flamengo no nível de competição que ele merece. Sem contar que nem confirmação de renovação há com as meninas do elenco atual.

O tempo passa, jogadoras mudam de time, nomes surgem, e  o que queremos mais que uma especulação, é um Flamengo forte. Um Flamengo digno.

Esperamos por movimentações da diretoria do clube, para enfim podermos ver ginásios lotados e revivermos os grandes tempos de épocas áureas de grandes jogadoras como Isabel, Ida, Jack Silva, Leila Barros, Virna e tantas outras.

 

Para você Rubro-Negro, que não esta acostumado com o mundo do vôlei, vou deixar aqui o nome das jogadoras que somam 7 no Ranking esdrúxulo da CBV, porem que não se pode deixar de destacar, aceito por ”todos” os clubes da série principal, exceto o Praia Clube que votou contra e Curitiba Vôlei que não mandou representante a reunião.

 

Jogadoras Ranqueadas:

Levantadoras: Dani Lins, Fabíola e Macris

Centrais: Thaísa e Fabiana

Ponteiras: Fernanda Garay, Gabi e Natália

Opostas/Ponteiras: Tandara e Tiffany

Das jogadoras citadas, Dani Lins pode estar deixando o Barueri para o SESI/Bauru. Já Fabíola o SESI para o SESC/RIO, assim como Tandara que estava no Guangzhou Evergrande da China. Thaísa deixando Barueri para desembarcar no Minas, e se juntar a Macris. Garay renovou com o Praia, assim como Tiffany como o SESI.

Fabiana, jogadora que atuou no Praia e Gabi e Natália do Minas ainda com futuro “incerto”.

https://www.melhordovolei.com.br/mercados/feminino.html

E você torcedor fanático pelo Mengão, e apaixonado pelo vôlei. O que estão achando desse silêncio da diretoria em relação a montagem do elenco? Quem poderia reforçar o Flavôlei, visto que a janela se afunila a cada milésimo de segundo?

Dê seu palpite!  Usem a  hashtag  #EoFlavôlei? Me marquem no Twitter  @RmuloCunha marque o redação @Red_RubroNegra  e também o @TimeFlamengo e vamos mostrar para a diretoria que confiamos nela, e esperamos um time competitivo para a próxima temporada.

 

Está Gostando do Conteúdo ? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leitura Recomendada

Bem vindo a História do Redação