Luz & Trevas & Pedro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Maaaaasssssss… Que emoções inesperadas essas que um simples Flamengo x Bahia nos proporcionaram na tarde desse domingão na Rota do Octa. Começou com Luz, passou por um Blackout daqueles com cara de fazer história, e acabou com o Pedro entrando e devolvendo a luminosidade necessária para clarear nossa arrancada no Brasileirão do Apocalipse.

Em teoria era até pra ter sido um jogo fácil. Tão fácil que o Gabi(gol) discordou e resolveu, já que o jogo era contra os baianos, apimentar um pouco (de forma involuntária) a nossa noite. Um rigor exagerado do juizão. A não ser que o xingamento tenha sido mais cabeludo que o Filipe Luís e o Arão juntos, cabia no máximo um amarelinho. Afinal… Essa porra não é um convento de freiras, né?

Ainda assim a primeira etapa transcorreu bem. Em muitos momentos nem dava pra perceber que a brincadeira tinha virado 11 contra 10. Inclusive, do alto de minha falta de isenção, bons modos e humildade, proferi em tom banal no intervalo: “agora é fazer mais dois no segundo tempo pra dar uma melhorada no nosso saldo de gols”.

Trevas.

O Flamengo nem voltou do vestiário. Um blackout total e generalizado trouxe, além da virada do Bahia em um pequeno punhado de minutos, um climão desnecessário e desproporcional de Libertadores, com um Arranca Rabo por minuto. Todo mundo pro bolo. Jogadores, Mano Menezes (uma mala), juiz, dirigentes na arquibancada. Um luxo só. Fiquei até imaginando a proporção que tomaria essa bulha se Jesus ainda estivesse dentre nós.

Habemus Elenco. Habemus.

Já citei aqui e você deve lembrar. Cinco segundos após a disputa de pênaltis contra o Racing, como de hábito, balancei a cabeça positivamente em gesto de plena aceitação. Meio segundo depois pensei: “Fudeu!!! Vai gerar um respingo nas finanças e dificultar a negociação pra ficar com o Pedro por aqui”. Esse passou a ser o meu inferno particular da eliminação, que felizmente não se concretizou. Não há revés financeiro que um Cafezinho com o Braz não resolva.

E por falar em café e acertos… Boas intervenções do Diego Alves pra comemorar o Dia do Fico e a permanência para o, quem sabe, Ano Mágico 2.0 na próxima temporada. Elenco tem, tempo pro técnico trabalhar tem… Só falta mesmo, pra poder firmar de vez, nós (raça humana) vencermos a batalha contra saporra desse vírus chato e devolver à Nação o seu lugar de direito ao lado do Nosso Flamengo.

Bom jogo. Cheio de emoções e alternativas. Por lamentar só o episódio de racismo relatado pelo Gerson. Que aliás respondeu com a bola no pé, em outra partidaça, comandando o time em mais uma vitória arrancada na marra.

Missão da rodada concluída com sucesso. Ultrapassamos o Atlético e crescemos no retrovisor do São Paulo.

Próximo jogo é contra o Fortaleza. Mais uma Semana Cheia pra treinar, e compromisso contra um time que o Rogério Ceni conhece de trás pra frente. Boa possibilidade de manter a importante sequência de vitórias que, além da lógica matemática, tem também a função de fazer o povo começar logo a tremer. Iremos sem Gabi(gol)… Mas com Pedro. Tá de excelente tamanho.

Nos scouts do jogo de hoje, um Mega Equilíbrio nos números de finalizações, bolas com endereço certo e posse da pelota. Mesmo com um a menos, nossa qualidade é Muito Maior. Os Deuses do Futebol não iam permitir que o Flamengo desgarrasse do São Paulo na luta pelo título… Só pro Bahia respirar um pouco melhor acima da zona da degola.

Bora Vencer, Vencer, Vencer.

Isso aqui é Muito Flamengo.

 

mercioquerido@gmail.com
Facebook e Instagram: Mercio Querido
Twitter: @sorinmercio

Está Gostando do Conteúdo ? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leitura Recomendada

Bem vindo a História do Redação