Ibrahimovic seria uma boa para o Flamengo?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Zlatan Ibrahimovic helps LA Galaxy fightback in 'El Trafico' derby
(Foto: Chris Carlson/AP)

O Los Angeles Galaxy de Ibrahimovic foi eliminado da Major League Soccer (MLS) na última quinta-feira (24), pelo Los Angeles FC, após perder por 5 a 3 na semifinal da conferência Oeste.

A partida pode ter sido a última de Ibra pela equipe, já que seu contrato termina em dezembro, e, por enquanto, não há sinal de renovação. O fato tem causado alvoroço nas redes sociais e feito o imaginário de diversas torcidas, não ficando de fora, é claro, a do Flamengo.

Com grande poder aquisitivo, o rubro-negro carioca tem feito investidas pesadas no mercado. Nomes como Arrascaeta, Gabigol e Bruno Henrique foram adquiridos por valores acima da média do mercado nacional.

Certamente dinheiro não é problema para o time da Gávea. Mas será que seria bom negócio para o Flamengo contratar Ibrahimovic?

Seria uma boa dentro de campo?

Em duas temporadas pelo Galaxy, Ibra soma 53 gols e 14 assistências em 58 jogos. Os números por si só são impressionantes, porém, questionáveis se levarmos em conta a qualidade técnica da MLS.

O jogador, que atualmente tem 38 anos, se encaixa nas características do tão sonhado centroavante que Jorge Jesus almeja ter no elenco?

Precisamos levar alguns pontos em consideração: Ibra conseguiria lidar bem com o fato de não ser o centro das atenções? No clube americano o “mundo gira ao seu redor”, cenário que não seria o mesmo num elenco recheado de medalhões como o Flamengo.

Analisando o atual time titular do Flamengo vem à tona outra questão: Com Gabriel, Bruno Henrique, Everton Ribeiro e Arrascaeta temos um setor ofensivo veloz, com enorme movimentação e aplicação tática. Por mais que a qualidade técnica de Ibrahimovic seja inegável, ele teria condição física de exercer tais funções? E, principalmente, estaria disposto a fazer isso? Vale a reflexão!

Ibra é um jogador mais fixo de área, é difícil imaginar ele se esforçando para marcar e correndo junto dos companheiros. Para um bom encaixe, talvez uma mudança de esquema tático seja necessária, o que não acredito que o mister faria.

O futebol brasileiro exigiria um nível de comprometimento e esforço que não sei se ele ainda tem vontade de tentar.

Marketing

O marketing sem dúvidas é o aspecto mais positivo de uma possível contratação da estrela sueca. Ibrahimovic é conhecido no mundo inteiro, suas declarações se tornam destaque nos principais noticiários do meio esportivo.

Zlatan Ibrahimović - EstátuaIbra inaugura estátua em sua homenagem na Suécia (Foto: Johan Nilsson / TT News Agency / AFP)

De primeiro momento, sua chegada acarretaria ao Flamengo vendas de camisas “como jamais vista no Brasil”, seria um fenômeno. Esse também é o tipo de reforço que impulsiona o sócio torcedor. Quem não quer ter a prioridade de ver um atleta de reconhecimento mundial desfilando em campo com a camisa de seu time? Aliás, acrescento, até rival pagaria pra ver.

A exposição da marca ao redor do globo também vale destaque. Se o sucesso de Jorge Jesus já potencializou o Flamengo na Europa (destaque em Portugal), um nome com o patamar de Ibra levaria esse interesse aos quatro cantos da Terra.

As possibilidades de campanhas publicitárias usando sua imagem são de deixar os olhos de qualquer um brilhando.

O ego

É de conhecimento de todos que Ibrahimovic é um jogador de personalidade forte, para ele não existem papas na língua, fala o que pensa doa a quem doer. Mas até que ponto isso ajuda ou atrapalha?

Após a eliminação do Los Angeles Galaxy na MLS e ofensas da torcida adversária, Ibra declarou que sem sua presença a liga cairia no esquecimento de todos.

“Se eu ficar será bom para a MLS,

porque o mundo inteiro vai assistir.

Se eu não ficar,

ninguém vai lembrar que a MLS existe.”

                                        Declaração de Ibrahimovic após eliminação do Galaxy

Em setembro, depois de goleada do Los Angeles Galaxy sobre o Sporting Cansas City (EUA) por 7 a 2, declarou que achava ser “o melhor jogador da MLS de todos os tempos”. Portanto, o ego de Ibrahimovic é algo que precisa ser levado em consideração.

Ao dar tais entrevistas, fica evidente como ele se considera maior que o campeonato e o clube que defende. Caso se sinta desprestigiado no Brasil, o Flamengo não correria o risco de passar pelo mesmo?

O atual grupo de jogadores do rubro-negro se mostra unido, o clima é o melhor possível, a vinda de um atleta com o histórico de Ibra, deixaria aberta brecha para rachas no elenco? Nos EUA ele é o rei do time e é quem da as ordens, mas ao bater de frente com nomes cascudos como Diego Alves, Rafinha, Diego e Filipe Luís, qual seria o resultado?

Duelo de titãs

A relação com o técnico Jorge Jesus certamente seria interessante de acompanhar. Mesmo com poucos meses no Brasil fica evidente para todos que o português é osso duro de roer e não aceita desobediência.

Quem não se lembra da famosa bronca em Reinier após a partida contra a Chapecoense? Pois bem, Rodrigo Caio também não escapou do esporro. Se não jogar como o mister pede pode se preparar para ouvir muito.

Porém, Ibra gosta de jogar do seu jeito, e o treinador que entenda seu estilo.  Entre 2009 e 2010,Ibra trabalhou com Pep Guardiola no Barcelona. Os dois nunca se entenderam. A frase mais famosa do sueco sobre o treinador foi a comparação entre Ferrari e Fiat 500, referindo-se ao fato de Pep não saber como utilizá-lo em campo: “É como comprar uma Ferrari e dirigi-la como um Fiat 500”, declarou à época. Imagina mandar uma dessa para o portuga?

Ibrahimovic parece não ter se esquecido dos problemas do passado com Guardiola — Foto: Reuters (Foto: Reuters)

Pois bem meus caros amigos rubro-negros, após toda essa análise deixo a pergunta para vocês responderem: Ibrahimovic seria uma boa para o Flamengo?

 

Por Leandro Conceição.

Leia também: O Flamengo deu samba!

 

 

 

 

Está Gostando do Conteúdo ? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leitura Recomendada

Bem vindo a História do Redação