Flamengo e Peñarol se enfrentam em decisão que põe Abel na berlinda

Flamengo e Peñarol
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Chegou a hora da decisão! Flamengo e Peñarol se enfrentam nesta quarta-feira (08), no Estádio Campeón del Siglo, em Montevidéu, no Uruguai, às 21h30, pela 6ª rodada da fase de grupos da Libertadores. Pressionado pela classificação para evitar um novo vexame na competição, o Fla precisa garantir ao menos o empate para se classificar. Uma derrota pode selar a demissão do técnico Abel Braga, que balançou no cargo na última semana.

Além disso, a partida guarda outras fortes emoções. Com mais de 35 mil ingressos vendidos para a decisão, o Peñarol está invicto diante de seus domínios na temporada. Em 10 jogos, foram 8 vitórias e 2 empates. Para o time Uruguaio, só a vitória interessa para se classificar. Em caso de empate, os donos da casa terão que torcer para a derrota da LDU contra o já eliminado San José, em Quito, no Equador.

Veja mais: Cristian Rodríguez afirma que Peñarol irá pra cima do Flamengo “Temos que jogar”

Para o Fla, a situação é mais simples já que o empate também serve. De 9 resultados possíveis, apenas um o eliminaria: a derrota somada a vitória do time equatoriano no outro jogo do grupo. Porém, essa situação não traz boas recordações aos rubro-negros. Em 2017, a situação era idêntica e o time da Gávea foi à Argentina enfrentar o San Lorenzo em busca do empate, acabou sendo derrotado com gol no fim do jogo e eliminado de forma tráumatica.

Desfalque no gol, reforço na zaga

Para superar as adversidades, o rubro-negro terá apenas um desfalque para decisão. O goleiro Diego Alves, que ainda se recupera de uma lombalgia, está fora da partida e nem viajou para o Uruguai. César, seu reserva imediato, é quem assume a vaga. O jovem goleiro vem de boas atuações contra Internacional e São Paulo e conta com a confiança da torcida. Porém, o Fla conta com a volta do zagueiro Rodrigo Caio, que esteve fora de combate após o choque de cabeça com Dedé na primeira rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja mais: Leandro confia na classificação do Flamengo na Libertadores

Veja mais: Abel diz não saber com Peñarol vem para a partida

Contra o time de infância

Maior contratação do Flamengo para a temporada, o uruguaio De Arrascaeta assumiu que o Peñarol é seu clube de infância. Ex-jogador do Defensor do Uruguai, o craque está acostumado a enfrentar o rival de mais tarde. Na coletiva de ontem, em Montevidéu, o meia foi questionado se comemoraria ao marcar contra seu time de infância e respondeu:

“Com certeza. Hoje, estou no Flamengo e tenho que dar o meu melhor para o clube e para a torcida. Se fizer um gol vou vibrar muito. Sou torcedor do Peñarol, mas isso fica fora do jogo”.

Flamengo e Peñarol
Arrascaeta concede coletiva antes da partida (Foto: Alexandre Vidal)

Flamengo e Peñarol na Libertadores

Os clubes se enfrentaram três vezes na história da libertadores e o retrospecto é favorável ao adversário, que venceu as três partidas. A última, inclusive, ainda esse ano. Com mais de 60 mil torcedores no Maracanã, em jogo que encaminharia a classificação do Fla para as oitavas, o time uruguaio venceu por 1×0 e levou os três pontos para casa.

Esse jogo ficou marcado na memória dos rubro-negros. O time da Gávea vinha de 2 vitórias seguidas na competição (San José e LDU) e o triunfo deixaria a classificação encaminhada. Na partida seguinte, o Fla enfrentou o San José no Maracanã e venceu por 6×1. Portanto, se tivesse vencido o Peñarol, a classificação estaria garantida e o jogo de hoje seria só para cumprir tabela.

Apesar disso e do retrospecto contra, os torcedores confiam no talento de Arrascaeta e companhia para vencer a partida. O Flamengo joga todas suas fichas no jogo de mais tarde. Uma possível eliminação joga fora o maior objetivo da temporada de forma precoce e pode gerar uma crise gigante. Uma vitória reanima uma equipe que tem qualidade para conquistar coisas grandes esse ano. É ceu ou inferno. Vencer ou vencer.

Provável Flamengo: César, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio, Renê; Cuéllar, Arão, Arrascaeta; Bruno Henrique, Éverton Ribeiro e Gabigol

 

Está Gostando do Conteúdo ? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leitura Recomendada

Bem vindo a História do Redação