As melhores 23 horas da história do Flamengo

23 horas de alegria
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

As 23 horas eternas

Talvez um dia, daqui a 15, 20 anos nós tenhamos a dimensão das 23 horas que acabamos de viver. Ontem (dia 23) por volta de 18:45, em Lima no Peru, o árbitro chileno Roberto Tobar apitava o final do jogo e o Flamengo era campeão da Libertadores pela segunda vez em sua história. 

23 horas depois, Wagner Reway encerrava a peleja entre Palmeiras x Grêmio em São Paulo. O empate entre os dois, tornava matematicamente impossível o Alviverde ultrapassar os 81 pontos do Flamengo, e decretava o nosso hepta-campeonato nacional. Nunca tivemos, e talvez nunca mais tenhamos um intervalo tão curto entre dois títulos tão importantes.

23 horas eternas
Foto: Ricardo Moraes / Reuters

O torcedor rubro-negro na sua maioria, ainda está de ressaca por ontem. Talvez haja algum desavisado ainda dormindo, e que não saiba que conquistou seu sétimo título brasileiro. Há uma boa parte de rubro negros que estão comemorando em Lima, pois provavelmente nem voltaram pra casa ainda.

A história foi escrita

Se os três títulos em 21 dias conquistados em 1981 foram sensacionais, imagina 2 títulos em 23 horas? Por mais que eu não goste de pontos corridos, e de ser campeão sem entrar em campo, temos que comemorar, é um título nacional e ponto. E com a adrenalina da final da Libertadores provavelmente ainda correndo em nossa veia, é mais um motivo para abrirmos mais uma cerveja.

Desde o começo do ano, mas principalmente na era Jorge Jesus, estávamos dizendo que deveríamos curtir esse momento, que estamos fazendo história. Mas a história só tem o final feliz e o reconhecimento que ela merece quando vem acompanhada de um troféu. E veio dois em menos de um dia, pra ser mais exato 23 horas. O Flamenguista está em estado de êxtase.

23 horas eternas
Foto: Ricardo Moraes / Reuters

Os dois títulos, vieram coroar um recorde do futebol brasileiro que não acontecia desde 1963. Desde esse ano, um time brasileiro não ganhava Brasileiro e Libertadores no mesmo ano. São as 23 horas do sonho de todo Flamenguista. 23 horas que valeram os 38 anos de espera da Libertadores e os 10 anos de jejum do título brasileiro.

O mar de gente que tomou conta das ruas do centro da cidade, são a prova do estado de alegria que o Flamenguista se encontra após essas 23 horas. Agora, vamos em busca de mais um desafio, porque o seu povo pede o mundo de novo.

Abraços

Gabriel Fareli

 

Está Gostando do Conteúdo ? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leitura Recomendada

Bem vindo a História do Redação